Dias dos Pais

Escrito por Valter Junior.

Dia dos pais?

Dia dos pais e eu estava em uma igreja onde acontecia uma homenagem aos pais. Naquele momento me lembrava de meu pai e de minha filha que j no esto mais comigo. Pensei tambm em outros que estariam ali sentindo algo semelhante pela ausncia do pai, av, filho ou marido.

Quando dei por mim, estava orando e dizendo a Deus que Ele no devia ter criado o dia dos pais, pois tal data se tornava terrvel para os que sentem falta dos pais ou filhos. Foi ento que me lembrei de que no foi Deus que criou essa data comemorativa.

A Bblia diz muito sobre os pais e os filhos, mas no define data para homenagearmos a ambos.

O amor que se expressa em datas especiais no se demonstra mesmo em menor intensidade nos demais dias. No dia dos pais, amor aos pais. Passado o dia dos pais, eles j tiveram a sua vez e nos concentramos na prxima data na qual dedicaremos nossa ateno a outra categoria de pessoas.

Talvez por isso Deus no tenha nos deixado a indicao de um dia para os pais, pois sabia que seriamos tentados a devotar excessiva ateno a eles nesse dia, deixando-os em um quase esquecimento nos demais.

E assim acontece invariavelmente, no dia dos pais eles recebem elogios demais e algumas crticas. Nos demais dias, crticas demais e bem poucos elogios.

Para os que no tem mais seus pais ou filhos, essa data possvel de ser vivida ao considerarmos o que j tivemos, o que ainda temos e o que teremos um dia com Cristo. Disso nos fala o que realmente Jesus nos convidou a celebrar: a ceia.

A ceia nos fala do que Ele fez, do que est fazendo e do que ainda far. Agracia a todos indistintamente em todo tempo, estejam os que amamos conosco ou no.

Dessa forma, a ceia devia receber maior nfase do que as datas comemorativas. A ceia, essa sim, foi instituda por Jesus.

Pedi ento a Deus que me ajudasse a viver quantos dias dos pais eu ainda tiver, agradeci por Ele no ter criado essa data, mas ter nos deixado algo to precioso e cheio de significado quanto a ceia, que pressupe a comunho entre os irmos em todo o tempo, na alegria ou na tristeza, at que Ele venha.

E um dia estaremos com Ele juntos a mesa nos cus, usufruindo o que Ele nos disse, deveramos comear aqui.

Deus assim seja propcio a todos que se alegraram nesse dia dos pais e a todos que choraram. Que na ceia nos lembremos que breve Ele vir e ento nossa celebrao no mais ter fim.

O que escrevo faz parte de minha preocupao de que como igreja tenhamos com frequncia preferido agir como se no houvesse dor e sofrimento entre ns. Nunca ouvi sequer uma palavra de carinho e consolo aos que em um dia, como o dos pais, choram em vez de sorrir. Consideremos uma circunstncia sem negligenciarmos a outra: alegremo-nos com os que se alegram e choremos com os que choram.

Mas quem desejar isso?