Nós, os evangélicos, e o escândalo em Brasília.

Escrito por Valter Junior.

Mais um escândalo envolvendo os evangélicos em Brasília. Reconheço que sou reconhecido como evangélico e que por mais que eu queira dizer que sou algo diferente , dificilmente serei compreendido. Difícil também a tarefa de tentar distinguir os que são de Cristo dos que não são. Vale
observarmos seus frutos, mas temos a tendência de uma análise equivocada dos frutos e assim, quando fazem o que nos agrada consideramos bons frutos e vice-versa. Prefiro então aceitar a vergonha e perdas que envolvem escândalos como o que ocorre no meio político de Brasília. Quando alguém comenta comigo, digo que lamentavelmente somos assim, capazes de coisas que nós mesmos rejeitamos e condenamos. Nós quem? As pessoas que são identificadas como evangélicas. Se aproxime da porta de uma igreja e olhe para dentro do templo. Verá muita gente, mas nem todos são de Cristo, mas são identificados como se fossem. Temos que conviver com isso. Quando um evangélico faz algo elogiável pela sociedade, ressaltamos que também somos evangélicos. Quando um evangélico faz algo condenável por todos, queremos explicar essa questão conceitual que nos diferencia de um evangélico.


Vejo pregações nas quais somos instados a sermos o sal da terra. No texto bíblico vejo Jesus dizendo que somos o sal da terra, mas
advertindo que se o sal perder a capacidade de dar sabor, será pisado pelos homens. É isso que estamos vendo. O povo está identificando os que
julga serem o sal da terra, mas que não estão demonstrando capacidade de dar sabor de vida, honestidade e justiça. E que por isso estão sendo pisados pela imprensa e afins. Sal insípido é pisado, como podemos ver.

Choremos nossa realidade e tenhamos misericórdia destes que são os pivôs de todo o escândalo, pois são gente como a gente, pecadores. Todos tem parentes, congregam em igrejas e se é verdade que condenamos o pecado, também é verdade que queremos nos empenhar efetivamente pela reconciliação dos que falharam. Deus possa por misericórdia conduzir cada um ao arrependimento, confissão e reconciliação.

Mais uma vez, diante de um fato notório a toda a sociedade, nós, evangélicos, permanecemos em silêncio. Creio que algumas vozes se
levantaram, mas sem conseguir o alcance que seria necessário.


Permanece o alerta bíblico de que aquele que pensa estar de pé, cuide para que não caia.

Segue aqui o que disse Jesus quanto a sermos sal e luz do mundo.

Mateus 5

13
"Vocês são o sal da terra. Mas se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens.

Se um dia algo assim acontecer comigo, por misericórdia, me amem ao ponto de me disciplinar, mas não me abandonem.